Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

SISTEMA DE SATÉLITE PODE ANTECIPAR CHEIAS EM CINCO MESES

Mäyjo, 26.10.15

Sistema de satélite pode antecipar cheias em cinco meses

Um sistema de satélite, que utiliza dados da NASA, pode ajudar as pessoas, os governantes e outras autoridades a prepararem-se para uma cheia ou inundação com cinco meses de antecedência, de acordo com um trabalho publicado no domingo passado no jornal Nature Geoscience.

Segundo a pesquisa, desenvolvida pela UC Irvine – Universidade da Califórnia -, o sistema baseia-se na medição de água armazenada nas bacias dos rios, antes da época de cheias. A utilização destes dados, que captam uma imagem mais completa da forma como a água se está a acumular, pode avisar mais rapidamente para possíveis cheias ou inundações – e salvar vidas ou reduzir o impacto das cheias nas infra-estruturas.

A equipa da UC Irvine explicou que a utilização deste sistema nas cheias do rio Missouri, em 2011, poderia ter avisado para a catástrofe entre dois a cinco meses antes. Neste caso, a informação da missão Gravity Recovery & Climate Experiment, da NASA, avisava para a acumulação de águas subterrâneas.

As cheias do rio Columbia, também em 2011, poderiam ter sido avisadas três meses antes de estas terem sido efectivadas. “Estes dados contêm informações hidrológicas importantes, que não são actualmente utilizadas para estimar o potencial das cheias regionais”, explicou o autor do estudo, J. T. Reager. “Isto pode aumentar significativamente a previsão de cheias nas bacias de grandes rios”.

Só nos Estados Unidos, de acordo com o National Weather Service, as cheias são responsáveis por 133 mortes por ano e um total de €2,9 mil milhões (R$ 8,8 mil milhões).

Foto:  DVIDSHUB / Creative Commons